terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Esboço de pregação sobre NICODEMOS


                                                  Ministrarão em culto de ensino



                                                 A Regeneração de Nicodemos
                                      João capitulo 3:01 a 21.
                      Jesus instrui Nicodemos acerca do novo nascimento

1  E HAVIA entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus.                 
2  Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.
3  Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.
4  Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?
5  Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.
6  O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
7  Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.
8  O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.
9  Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso?
10  Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto?
11  Na verdade, na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos, e testificamos o que vimos; e não aceitais o nosso testemunho.
12  Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais?
13  Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu.
14  E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;
15  Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
16  Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
17  Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
18  Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
19  E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.
20  Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.
21  Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.


NICODEMOS sig  Vitorioso Sobre O Povo? Sangue Inocente?

ERA FARISEU
Membro do SINÉDRIO
Defendeu a Jesus diante do Sinédrio (Jo3; 7.32-52)
Contribuiu com as ESPECIARIAS (Jo 19.39-42).
Fariseus sig Separado; Separatistas seguiam rigorosamente a Lei de Moisés tradições e os costumes dos antepassados (Mt 23.25-28)
Acreditavam na ressurreição e na existência de seres celestiais (At 23.8)
 Os fariseus não se davam com os SADUCEUS, mas se uniram (Mt 16.1).
Saduceus pequeno mas poderoso grupo religioso dos judeus.
 Faziam parte desse grupo os sacerdotes e as pessoas ricas e de influência de Jerusalém
seus ensinamentos principalmente no PENTATEUCO.
Negavam a ressurreição
o juízo final e a existência de anjos e espíritos
ZELOTES
Membro de um partido nacionalista judeu do tempo de Cristo. Os zelotes, também chamados de “cananeus” ou “cananitas”, usavam de violência na oposição ao domínio romano (Lc 6.15; Mt 10.4, RA).
Essenios
Era caracterista dos judeus essênios :
Dividiam-se em grupos de 12 com um lider chamado "mestre da justiça";
Vestiam-se sempre de branco;
Acreditavam em milagres pela mão , milagres físicos e benção com as mãos.
aboliam a propriedade privada;
Eram todos vegetarianos;
Não se casavam;
Tomavam banho antes das refeições;
A comida era sujeita a rígidas regras de purificação.
Eram chamados de nazarenos por causa do voto nazarita.
SINÉDRIO
O nome sinédrio vem das palavras grega sin(junto) e edrio (sentar). Esse termo é usado vinte e duas vezes no Novo Testamento.
O sinédrio era o conselho de juízes - uma espécie de corte suprema - que operava em Israel por volta da época de Jesus. Durante o período em que o sinédrio existia, outras nações reinavam sobre Israel. Esse corpo de líderes consistia de 71 membros e fazia seus negócios em Jerusalém.
O Sinédrio era comandado por um presidente que era conhecido como "o sumo sacerdote". Normalmente os saduceus eram os sumo sacerdotes, que eram os homens mais poderosos do Sinédrio.
Um sumo sacerdote era o capitão do templo e o outro supervisionava os procedimentos e comandava o guarda do templo (Atos 5:24-26). Os outros serviam de tesoureiros, controlando os salários dos sacerdotes e trabalhadores e monitorando a vasta quantia de dinheiro que vinha através do templo.

OS ANCIÃOS
A Segunda categoria principal dos membros do sinédrio eram os anciãos. Esses homens representavam a aristocracia sacerdotal e financeira na Judéia. Leigos distintos como com José Arimtéia (Marcos 15:43), dividiam a visão conservadora dos saduceus e davam a assembléia à diversidade de um parlamento moderno.
ESCRIBAS
Os membros mais recentes do sinédrio eram os escribas. A maioria deles eram fariseus. Eles eram advogados profissionais treinados em teologia, direito e filosofia. Eles eram organizados em grêmios e normalmente seguiam rabinos ou professores célebres. Gamaliel, um escriba famoso do sinédrio, que aparece no Novo Testamento (Atos 5:34), foi o erudito que instruiu o apóstolo Paulo (Atos 22:3).

NOS DIAS DE JESUS
Nós sabemos mais sobre alguns aspectos do Sinédrio nos dias de Jesus do que sabemos sobre ele antes ou depois. Uma coisa que sabemos é a extensão de sua influência. Oficialmente, o Sinédrio tinha só tinha jurisdição na Judéia. Mas na prática ele tinha influência na província da Galiléia e até mesmo em Damasco (Atos 22:5). O trabalho do conselho era basicamente julgar assuntos da lei judaica quando surgiam discórdias. Em todos os casos, sua decisão era final. Eles julgavam acusações de blasfêmia como nos casos de Jesus (Mateus 26:65) e Estevão (Atos 6:12-14) e também participavam na justiça criminal. Ainda não sabemos se o sinédrio tinha o poder de punição capital. O filósofo judeu Filo, indica que no período romano o sinédrio podia julgar violações ao templo. Isso explica as mortes de Estevão (Atos 7:58-60) e Thiago. Gentios que eram pegos ultrapassando o recinto do templo eram avisados sobre uma pena de morte automática. Porém, o Novo Testamento e o Talmude discordam de Filo nesse ponto de vista. No julgamento de Jesus, as autoridades estavam convencidas em envolver o governador romano Pilatos, que por si só poderia mandar matar Jesus (João 18:31). [De acordo com o Talmude, o sinédrio perdeu o privilegio de executar punição capital “quarenta anos antes da destruição do templo” ou por volta da época da morte de Jesus.]

A Regeneração NIkidimon Jo 3:1.......
SL 51.:5Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.
SL 58.3  Alienam-se os ímpios desde a madre; andam errados desde que nasceram, falando mentiras.
Rm 8.7  Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.
I Cor 2.14 Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.
15 Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.

Tit 3.5 Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo,
Rm 12.2  E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.
II Cor 5-17 Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo
Rm 8.13Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.
14 Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus.
15 Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.
16 O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.
17 E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.




Um comentário: